A importância crescente do “Sem glúten”

Sexta-feira 21st, Fevereiro 2014 / 15:44
A importância crescente do “Sem glúten”

O jornal norte-americano New York Times publicou uma reportagem sobre a importância crescente dos produtos sem glúten nos  Estados Unidos. No artigo é descrito o crescimento deste segmento e a grande aposta que os produtores americanos estão a fazer nos produtos sem glúten.

Segundo os especialistas entrevistados, esta tendência parece ter vindo para ficar e não parece abranger apenas os que sofrem de doença celíaca ou de alergia a cereais que contenham glúten. Os números apontam que mesmo quem pode consumir glúten quer diminuir o seu consumo. Em 2013 cerca de 11% das famílias tinham a preocupação de comprar alimentos sem glúten, quando em 2010 este número era de 5%.

Esta tendência traz duas vantagens para quem sofre de doença celíaca ou de alergia a cereais que contenham glúten. Em primeiro lugar, cada vez mais produtos colocam na sua embalagem a indicação de que não contêm glúten. Mesmo no caso de produtos que nunca o tiveram, os produtores têm a preocupação de colocar bem visível uma etiqueta de “Sem Glúten”. A segunda vantagem está relacionada com a disponibilidade destes produtos. Há apenas alguns anos atrás, quem procurasse este tipo de produtos tinha de ir a uma loja especializada, pois a maioria dos supermercados não distinguia os produtos com e sem glúten. Actualmente, cada vez mais cadeias de supermercado disponibilizam prateleiras e corredores que apenas contêm produtos sem glúten.

Esta pode não ser ainda a realidade portuguesa, mas parece ser um sinal animador para o futuro.

Pode ler o artigo completo aqui.

 

 

comments powered by Disqus

Destaques

Pesquisa

Redes Sociais

LinkedIn Pinterest

Siga a Alimenta no Facebook