João, 4 anos, alergia à proteína do leite

Segunda-feira 21st, Abril 2014 / 23:10

Chamo-me Marta, sou casada, arquitecta de profissão e mãe de um menino desde Maio de 2010. O meu filho, já com quase quatro anos tem Alergia à Proteína do Leite de Vaca (APLV)… Como sei por experiência própria, a Alergia Alimentar pressupõe uma aprendizagem sobre o tema, pois as mães numa fase inicial não sabem o que fazer e as dúvidas são tantas que se sentem à deriva. Por isso, aqui vos conto um pouco da história de aventuras que eu e o meu filho passamos desde os seus primeiros meses de idade e que ainda hoje perduram.

Tinha o João cerca de 3 meses quando descobrimos a alergia… a partir dessa data, tudo mudou! Por indicação médica, uma vez que o leite materno não era suficiente para as necessidades alimentares do meu filho, introduzimos o suplemento alimentar. Não era a primeira vez que o tomava. Já antes, com poucos dias de vida, tinha-lhe sido oferecido leite, que não o materno, no hospital onde o tivera. Mas nessa altura nada tinha acontecido. Foi em casa, aos 3 meses, que ao alimenta-lo com leite que não o meu, vi o corpo do meu filho ficar todo vermelho, tipo um escaldão do sol… No dia a seguir voltei a dar-lhe o suplemento e passado 5 minutos ele ficou muito pior que a noite anterior. Foi então que o médico suspeitou da APLV! Aos 6 meses realizou-se exames ao sangue, IGE específico ao leite, confirmando a ALERGIA.

A verdade é que esta notícia foi um choque. Não sabia como reagir, o que pensar. O médico foi ajudando: orientou para o tipo de leite adaptado que o João deveria tomar, e no processo de diversificação alimentar, disse-me como escolher as papas, bolachas e iogurtes para o meu filho. Nomeadamente para ler sempre os rótulos dos alimentos, medicamentos, cremes, etc pois existia a possibilidade de ele ser alérgico a outros tipos de alimentos para além do leite e, mais tarde uma possível necessidade de dessensibilização alimentar quando este fosse um pouco mais velho.

À medida que o João crescia não podia comer nada com leite ou sequer com vestígios. Durante a nossa a aprendizagem descobrimos que o meu filho fazia alergia de contacto. É um menino que não pode ser beijado ou tocado com mãos que não sejam previamente bem lavadas! Mais tarde, com 1 ano e meio, o João fez uma reacção anafilática. Esta, é do ponto de vista da doença alérgica a reacção mais grave e ameaçadora da vida que alguém pode ter. Nunca descobrimos o que a desencadeou, mas descobrimos neste contexto, com novos exames ao sangue que este era também alérgico ao ovo, à amêndoa e ao pêlo de cão e gato. Devido à gravidade da alergia, passou a usar um Kit de Emergência com anti-histamínico, corticóide e uma caneta de adrenalina, que o acompanha sempre para todo o lado que ele vá, na sua mochilinha.

Os primeiros meses após a descoberta da alergia foram marcados por momentos angustiantes, assustadores e muitas dúvidas… desde a descoberta de produtos sem leite, à aventura do supermercado em ler todos os rótulos (alimentação, cremes, shampoos, medicamentos) ao convívio com as outras crianças, os baloiços, o cinema, as festinhas de aniversário e, claro, o grande dilema, A ESCOLA.

Hoje, o João tem quase 4 anos e continua altamente alérgico. Mas, é de notar que é uma criança muito feliz!!! Não se sente diferente das outras crianças e muito menos excluído. Aceita, respeita e tem consciência das suas restrições alimentares porque enfrentámos o problema de uma forma natural, transparente e frontal. O facto do João também estar a crescer ajuda muito: o João encara a doença com naturalidade e sem qualquer tipo de revolta. É uma criança normal afinal de contas. E sei que é assim que se sente. Actualmente encontra-se a fazer dessensibilização ao ovo. É uma festa para ele sempre que come um pedacinho de ovo cozido. E para nós também…

Existem imensos produtos para este tipo de crianças desde bolachas, chocolates, iogurtes, bebida de soja de vários sabores, queijos vegan, gomas, rebuçados, pipocas, batatas fritas, salsichas, fiambre, pão, gelados, etc. O João é uma criança que come de tudo, croissants, natas, bolos, gelatina, gelados, quiche, empadas, etc… não existe nada que ele não coma!!! Bem entendido, desde que não contenha leite ou vestígios, bem como produtos com ovo e frutos secos. Claro que muitas das coisas são cozinhadas em casa!!!

 

comments powered by Disqus

Destaques

Pesquisa

Redes Sociais

LinkedIn Pinterest

Siga a Alimenta no Facebook